sexta-feira, setembro 30, 2005

Mas afinal de contas... (Parte II)

Quem é o Peseiro?!?

No rescaldo de uma semana infame para as equipas portuguesas nas competições europeias – a confirmar que o nosso futebol, assim como a mentalidade portuguesa, só é capaz do 8 ou do 80 – e excepção feita ao Guimarães, fica o registo de mais uma eliminação do Sporting frente a equipas de nível claramente inferior, o que já vem dando ares de tradição para as bandas de Alvalade.

De facto, este Sporting, desde que me lembro (excepção feita ao de Inácio – principalmente - e ao de Bölöni - assim-assim), sempre jogou de forma sobranceira e altiva, sem um pingo de humildade, subestimando o adversário, principalmente quando este é desconhecido ou tem pergaminhos inferiores. O Sporting joga à imagem da sua nobreza, ao sabor da sua riqueza, e livre-se o nobre de respeitar o adversário e vestir o fato-de-macaco... muito menos se for de calibre inferior!

O que é mais intrigante é que este comportamento parece subsistir independentemente dos treinadores que por Alvalade passam, embora com alguns deles a altivez se pareça agudizar. É o caso de Peseiro. Pessoalmente, estou oficialmente farto do homem. Depois de na época passada o ter visto cometer erros atrás de erros e da tomada de consciência da incapacidade de lidar com o balneário – já não era assim no Real Madrid? – o capital de confiança do ribatejano foi contrabalançado pela campanha europeia e pela luta pela Liga, o que lhe dava, realmente, algum crédito. Acreditando que este ano iria aprender com os erros, apoiei a sua continuidade, para agora constatar que o sujeito não tem mesmo mãozinhas para aquilo.

O que salta à vista do comum mortal, acima de tudo, nem é a falta de estudo dos adversários ou as escolhas tácticas, antes ou durante o jogo. Nesse aspecto – o técnico - julgo que ele deve ser tão bom treinador como qualquer outro na nossa Liga. Mas a incapacidade em ser um verdadeiro líder de homens, aliada ao falhanço claro no domínio da psicologia de grupo - patente nas dificuldades em incutir nos seus jogadores uma mentalidade competitiva que se prolongue não só pelos 90m de um jogo mas por toda a época, independentemente do adversário - não deixam margem para dúvidas de que o Sporting necessita, efectivamente, de alguém que, pelo menos, dê uma imagem de controlo próprio e da equipa. Se o líder mostrar medo, os jogadores terão medo. E os sócios/adeptos sentem o medo a milhas... e quem gosta de um treinador medricas? E já agora alguém diga ao menino que a última coisa que um treinador deve querer ser é um porreiro. Os brasileiros do Sporting (excepção feita ao Rogério) por exp., agradecem...

Algo no Sporting vai mal em ano de Centenário. Gorada a Liga dos Campeões e a Taça UEFA, resta a Liga e a Taça para lavar as mágoas. Num misto de tristeza mas com um sorriso irónico devem estar Luís Duque (à boa imagem do que sucedem em política, nem precisa de fazer campanha presidencial... basta-lhe estar caladinho e esperar pelos inúmeros tiros nos pés de Dias da Cunha e Companhia), Miguel Ribeiro Telles, José Eduardo Bettencourt ou Carlos Freitas. A massa adepta do Sporting está divorciada da sua equipa, do seu treinador e dos seus dirigentes...

Quando tiver a consciência que estou a prejudicar e não a beneficiar o clube, serei o primeiro a sair”. Já cantava a Roisin Murphy, the time is now...

PS – Algum dia o Peseiro vai ter de me explicar que raio de conceito é esse do “treino integrado” em que uma equipa de topo se dá ao luxo de prescindir de um preparador físico....

Tristeza não tem fim

Fui ontem ao jogo do ano (porque foi o último jogo deste ano e dos primeiros dois terços próximo nas competições europeias). Eis as principais ilações que retirei:
- Ao contrário do que muitos pensam, a expressão mais ouvida não é “Peseiro ca**ão não levas um tostão” ou “isto é uma vergonha” mas sim “É o único, é o único” (referência a João Moutinho e à forma como se distingue dos restantes colegas de equipa – um “inconformado” que “luta contra a maré”, em linguagem puramente futebolística.
- Por mais incrível que pareça o novo herói para as bandas do Alvalade XXI, qual D. Sebastião que parece que sozinho conseguirá solucionar todos os males da equipa, é um tipo com um penteado duvidoso e que dá a impressão de entrar em campo de barbatanas, tal é o tamanho das suas chuteiras, de seu nome Mauricio Pinilla. Senão repare-se: as massas exigiram a sua entrada em campo aos minutos 19 (!), 42 e 65, tendo o treinador (?!) cedido apenas ao minuto 75. Memória curta dos sócios: o ano passado, em Outubro, o mesmo jogador era assobiado cada vez que tocava na bola, chegando-se ao ponto de, quando o chileno marcou o sexto golo da equipa contra o Boavista (6-1), gozar com a situação (“já viram isto, até o Pinilla marca um golo!”). Vamos ver se o seu estado de graça dura.
- Porque é que ninguém disse a Nelson que para ser titular da baliza do Sporting não era necessário substituir Ricardo em tudo o que este fazia?
- Acabou de começar a travessia no deserto. Tal como o Porto no ano passado (que jogou mau futebol, não ganhou nada e deixou os adeptos à beira de um ataque de nervos) o Sporting vai passar um mau bocado durante os próximos tempos. Espero que só dure uma época.
Cheguei a casa depois do jogo e a RTP Memória passava o jogo Sporting-Ajax de 1987. Não vi o jogo na altura mas lembro-me perfeitamente que estava em Castelo de Bode a passar férias com os meus pais quando soube do resultado histórico de 4-2 (e também da vitória surpreendente do Belenenses por 1-0 contra o Bayer Leverkussen fora, julgo com um golo de Mladenov). Com 7 anos, rejubilei. Paulinho Cascavel, Silas, Carlos Manuel, Venâncio, Forbs, Rodolfo Rodriguez, esses sim, mesmo jogando mal, foram meus ídolos. Eram todos “os únicos”.

Se Scolari fosse um filme...

Ricardo, Quim, Nuno Gomes e Hugo Viana????????? Convocados!!!!!!!!

Vitor Baía, Moreira, Quaresma, Hugo Almeida, Nélson (Benfica) e Moutinho de fora????????

Nós somos a tua voz!!

Agora que os lagartos também têm que estar caladinhos e como o Joe.Disco perguntar "Quem é o Halmstads?" e antes da visita do Villareal CF à Luz cumpre-me escrever sobre o descalabro europeu desta semana.

O Porto joga bem. Jogo bem comó caraças. Tem um punhado de jogadores verdadeiramente sobredotados. Diego, Quaresma e Lucho Gonzalez, bem como noutro plano, McCarthy, Hugo Almeida e Lisandro são gajos capazes de partir qualquer defesa, incluindo a do Inter de Milão. Perdemos. E depois? A Taça que ganhámos há dois anos chega para alimentar o ego durante décadas. Taça que o Benfica ainda ergue bem alto, apesar de já terem passado 45 anos. E Taça com a qual nem o Sporting, nem o Artmedia nem o paralíticos do Glagow Rangers alguma vez poderão sonhar.

Tudo bem. O Morcego tinha razão já na terça-feira. De facto quem perceber que o Porto joga sem trinco de raíz, com dois médios centro e com laterais adaptados e que não sabem defender marca facilmente 3 golos em contra-ataque ou partir de faltas originadas em lances de contra-ataque. Perdemos e podemos continuar a perder, mas tenho a erteza que a jogar assim muitas mais serão a vezes que ganharemos.

Foda-se! Adorei ver o Porto jogar na terça-feira. Do primeiro ao último minuto. Cada remate de meia distânca do Lucho, cada cuecada do Diego, cada cruzamento do Quaresma me fazia saltar na cadeira. Nada que se compare à merda de jogo que o Sporting fez com os suecos ontem à noite.

A grande diferença é que se os jogos de futebol fossem decididos por um júri como nos saltos para água o Sporting tinha 1 ponto e o Porto tinha 10. O Porto quis continuar a encantar os adeptos com bom futebol... infelizmente são os Trappatonis e as Grécias deste mundo que levam a melhor sobre o bom futebol.

Adrianse é honesto por se sentir envergonhado com a derrota. Mas este adepto não se sente envergonhado mas orgulhoso por ter um treinador que me faz achar bem empregue a assinatura da Sport TV.

Não chamo ao meu treinador aquilo que os outros chamam ao Peseiro e ao Koeman (embora tenham razão). Eu não tenho erros a apontar a Adrianse (OK tirar o Diego em vez do Jorginho é estúpido, mas também ninguém é perfeito.)

E agora venha o Inter que se virmos bem é o verdadeiro Sporting do futebol italiano, grandes esquipas, zero resultados e um presidente mentecapto. O Porto só tem que ser aquela equipa teoricamente inferior que os manda para a urtigas. Sei que hoje dói, mas numa noite qualquer de Novembro quando o Porto for ganhar 5-0 à Eslováquia estaremos vingados.

quinta-feira, setembro 29, 2005

Mas afinal de contas....

Quem é o ARTMEDIA?!?!

Duas Derrotas Anedóticas

O Porto sofreu ontem duas derrotas históricas.
Perdeu com um clube de amadores que veio pela primeira vez à Liga dos Campeões e não celebrou o seu 112º aniversário!
Estranho clube este! Teve como data fundacional 1906 durante 95% por cento da sua história... Depois envelheceu quase vinte anos! Nem chegou a comemorar o Centenário.
Como documento de fundação tem um papel que afirma que um conjunto de jovens jogava no fim do século à bola (e praticava ciclismo no Velo Club do Porto) no Porto sob o nome de Football Club do Porto (um nome perfeitamente original e nada sujeito a dúvidas). Não existe nenhuma ligação entre a instituição FCP e o grupo do pontapé na bola do fim do século XIX. Apenas uma pressa tremenda de ser mais antigo que os rivais pode justificar o desprezo aos verdadeiros fundadores do clube (século XX).
Quando vejo dirigentes do FCP a dizer que não vendem a sua história aos interesses mercantilistas só me dá vontade de rir!
Parabéns ao FCP!

quarta-feira, setembro 28, 2005

Let the games begin...

Mais um fim-de-semana futebolístico (de 4 dias, porque em Portugal, dados os baixos índices de produtividade, e por acordo tácito entre os tugas, os fins-de-semana são antecipados e prolongados em um dia, daí a Liga calendarizar jogos também para Sextas e Segundas) e a constatação de uma série de factos que, à 5ª jornada, não podem passar despercebidos:

1 – O SCP é, sem qualquer sombra de dúvida, a melhor equipa portuguesa, o que se retira do episódio dos lenços brancos no jogo com o Setúbal no passado Domingo. De facto, já ouvi argumentações no sentido de que o tuga supporter é ingrato, impaciente, energúmeno e puxa do lenço da ranhoca tão facilmente como coça a micose. Também já ouvi dizer que o Trapalhoni/APAF na pretérita época sofreu na pele este fenómeno e ainda assim foi campeão. Mas... lenços brancos após uma vitória?!?! Nunca vi tal coisa em qualquer parte do mundo! Meus senhores, o nível de exigência não só do sócio/adepto sportinguista como do mundo do futebol em geral para com o SCP é ENORME, o que me leva facilmente a constatar que somos, efectivamente, os melhores... e porra livrem-se de ganhar pela diferença mínima senão...

2 – Ainda que não se entenda como atrás descrito – o que só revela uma capacidade de percepção da realidade em tudo equivalente à dupla LFV/JV e ao meu querido amigo Mohamed Said al-Sahaf – sempre se diz, em abono da verdade, que muitos daqueles lenços eram de saudade... sim, meus caros, de saudade... o simpatizante dos Leões tem saudades das substituições simples à Inácio, que se bem se lembram substituiu o Vagarosa pelo Tosquito 28945 vezes em 34 jogos do campeonato, num autêntico bluff que desnorteava as equipas técnicas adversárias, dado que quando ninguém pensava que o Inácio fosse fazer mais do mesmo... ora toma e embrulha e ali ia o rato Tosquito pelo campo fora!!!

3 – No final do jogo telefona-me o Paulo Baptista lavado em lágrimas, bastante agastado e triste, pois apercebeu-se, a dado momento, que os berros e urros de “palhaço” não eram um reconhecimento do seu trabalho e muito menos um incentivo a continuá-lo, uma vez que foram dirigidos ao Peseiro. Ora bolas, o seu a seu dono caramba!! “Palhaço” é um termo delico-doce que em Portugal apenas pode/deve ter como destinatários a família dos árbitros e a dupla LFV/JV, autênticos profissionais em exibição todo o ano num pré-fabricado ao pé do Colombo. Para o Peseiro sei lá... olhem, chamem-lhe “Zé Nabo” que vai com a cara dele, com as suas atitudes e para além do mais é quase igual em termos do cântico (a construção silábica de “Pa-lha-ço, Pa-lha-ço!!!” pouco ou nada difere de “Zé Na-bo, Zé Na-bo!!”).

4 – Lá para os lados das Antas joga-se bom futebol, sim senhor, mas ainda não percebi muito bem se é um futebol com ou sem adornos... de facto, uns fazem birrinhas por causa de umas trancinhas... outros pelos brincos... alguns por anéis... por isso não jogam... mas depois afinal lá jogam... que confusão!! Bom, por aqui se vê como em qualquer clube em que só faz falta quem está há, consoante as exigências, imprescindíveis...

5 – Ao fim de 7 anos, Nuno Gomes apontou o seu primeiro hat-trick na Liga Portuguesa. Instado a comentar tamanho seca num “ponta-de-lança” (piada fácil, eu sei) que joga numa Liga tão forte como a nossa, Nuninho argumentou “já podia ter feito inúmeros hat-tricks como daquela vez frente ao Mija-na-Escada, em que só não fiz porque estava a pôr o cabelo por trás do orelhómetro... ou daquela vez contra os Esgota-Pipas de Lagameças pois o cabelo colocou-se-me nas ventas... e a outra em que jogámos com aquela equipa engraçada que joga toda de preto e com uns putos muito reguilas que só queriam era praxar... praxe pr'aqui praxe pr'ali e passaram a joga toda a utilizar a minha linda bandelete como elástico contra as minhas fuças... ai os putos os putos...”

Saravá!


terça-feira, setembro 27, 2005

Washington Rodriguez

Por vezes sinto-me como se fosse essa lêndea-viva do futebol.
Incompreendido!
Em boa verdade Washington Rodriguez foi um tributo ao futebol reaccionário.
Chegado ao Glorioso na mítica época 96/97, que terá marcado uma das mais bonitas páginas do clube da Luz, o uruguaio destacou-se imediatamente.
Uma farta cabeleira paleo-conservadora (paleolítica mesmo!), um físico franzino (marca da virtuosa frugalidade dos povos sul-americanos), o olhar inquieto, caracterizava a fisionomia do extremo.
Foi, contudo, o perfume do seu futebol uma das mais poderosas armas do conservadorismo reaccionário vistas neste país após o 25 de Abril! Todos passavam por ele... Defesas, médios, avançados, encontravam na sua ala (direita ou esquerda) uma passadeira para a felicidade! Washington permanecia impassível ao bulício dos tempos modernos, da velocidade e da imprevisibilidade progressista! Dizia um vigoroso NÃO às velocidades que destroem as vidas dos homens. A sua lentidão era ponderada... um lamento e um protesto contra o "spoil-system" da sociedade contemporânea!
A mensagem de Washington era simples e poderosa: "Não sou eu que tenho de acelerar! É o futebol que tem de abrandar!".
A última vez que o vi foi num treino de fim-de-tarde no antigo Campo 2 do Estádio da Luz. O seu destino estava traçado pela insubmissão aos ditames do sistema dominante... Os olhares de Autuori eram os do carcereiro que semana após semana negava a liberdade ao cativo. Defensor do experimentalismo e do materialismo desenfreado (que importância têm os resultados no futebol?!), Autuori negou a convocatória ao mártir. Chegou mesmo ao sectarismo de colocar o artista no banco, substituíndo-o pelo preparador-físico que alinhou na sua posição na "peladinha".
O mundo trata assim os visionários...

Quando Washington saiu do SLB já conseguia dar seis toques na bola sem deixar cair!
Insensíveis, os dirigentes do Benfica não deixaram que o mago prosseguisse a disseminação da sua mensagem, da sua proposta de sociedade e mentalidade.

Seguindo os ensinamentos de Kirk, de Weaver, de Calhoun e o exemplo de Washington Rodriguez, é preciso mais que nunca combater uma sociedade que se interessa apenas pelo lucro, pela eficácia, pela velocidade estonteante...

Somos todos Washington Rodriguez!!!

segunda-feira, setembro 26, 2005

Man Utd


Da última vez que o Benfica lá foi, jogou em terreno neutro, levou o Eusébio e mesmo assim trouxe 4 no bico. Boa sorte Koeman!

domingo, setembro 25, 2005

Opiniões... (para não lhes chamar calinadas)

Verdadeiras pérolas da comédia portuguesa a concurso:

“Karagounis é bom e Miccoli também” – José Mourinho em 10/9/2005
“Karagounis tem carácter e sabe jogar” - José Mourinho em 17/9/ 2005
“Miccoli é genial” - Marcelo Lippi
“Aceito candidatar-me à presidência da República” – Mário Soares em 31/8/2005
“Não serei um candidato do PS, mas sim um candidato nacional apoiado pelo PS” – Mário Soares em 31/8/2005
“O país vai sufragar esta candidatura com uma grande votação” – Mário Soares em 31/8/2005
“Não tememos nenhum adversário” - José Veiga em 30-07-2004
“Recuperámos a mística” - Argel em 12-07-2004
“Novo treinador do Benfica vai ter nas mãos uma máquina potente” - Argel em 02-07-04
“O SIS tem um relatório que prova a minha inocência” - padre Frederico
“Não é hora de fazer críticas, é hora de rodear Mário Soares e dar todo o apoio que os socialistas podem e devem dar” - Almeida Santos
“O Benfica será mais forte que o Real Madrid” - L. F. V. em 19-04-2003
“Eis a equipa-maravilha” - L.F.V. (depois de uma vitória em Braga)
“A transferencia de Mantorras é superior à do Figo” - L. F. V.
“Não se tratou do roubo mas apenas o desvio para um armazém em Beirolas” - L. F. V.
“Vou defender as cores do Benfica até à morte” - Simão Sabrosa
“Podemos arrasar em Portugal e pela Europa fora” - L. F. V.
“O Real Madrid é tão grande ou maior que o Benfica” - Mario Dias em 16-5-2004
“Esta época o Benfica merecia o título” - Álvaro Magalhães em 2-4-04
“Benfica tem a dimensão do Real Madrid” - Camacho em 31-12-2003
“Benfica deve ser o único clube português que paga a horas” - Argel em 19-06-2003
“No dia em que o Benfica for campeão a economia deste país começa a ficar mais produtiva” - LFV 07-06-2003
“Quando o Benfica ganha o País fica feliz” - Vilarinho 14-09-2002
“Dentro de 3 anos o Benfica será o maior do mundo” -L. F. V. em 19-04-2003

As 3 melhores:
“O país vai sufragar esta candidatura com uma grande votação” – Mário Soares em 31/8/2005
“Benfica deve ser o único clube português que paga a horas” - Argel em 19-06-2003
“Quando o Benfica ganha o País fica feliz” - Vilarinho 14-09-2002

O Rei da Calinada: L. F. V.

sábado, setembro 24, 2005

FC Porto 2-1 Belenenses



Se o cigano continua a partir esta merda toda assim... Não sei, não...


Nota para a malta do Belém - Aquele Amaha é bom para dar ao porcos.

sexta-feira, setembro 23, 2005

Nito - A devida homenagem




O terror de quaquer fotógrafo. Se Eusébio é o melhor jogador português. Mourinho o melhor treinador. Este homem é sem dúvida o histórico jogador mais feio do campeonato português. Quem pode rivalizar com aquela típica bochecha inchada? Aquele olho à Belenenses, clube que o lançou? Nito era practicamente intransponível na banda esquerda. Qualquer extremo direito no um para um ficaria inevitavelmente estarrecido a olhar para aquela fronha, circundada por uma abundante juba! Foi muito justamente considerado um dos jogadores da década de 90 no Rio Ave.

Aviso à navegação

O Benfica continua à 5ª jornada com menos pontos que o Tiago Monteiro...

Benfica com legendas

Parecia que estava a jogar championship manager...

1' - O Penafiel dá o pontapé de saída no encontro.

2' - Simão tenta lançar na frente para Miccoli, mas aparece Weligton a cortar para longe.

4' - GOLO DO BENFICA, por NUNO GOMESPrimeiro canto da partida, favorável ao Benfica. Batido por Geovanni para a área, onde depois de alguma confusão, com muitos ressaltos à mistura, aparece Nuno Gomes a rematar forte para o fundo das redes penafidelenses.Está feito o primeiro no estádio 25 de Abril.

9' - CARTÃO AMARELO para BARRIONUEVO, depois de uma falta muito dura sobre Geovanni à entrada da área.

11' - GOLO DO BENFICA, por SIMÃO SABROSAEnquanto Geovanni recebe assistência fora das quatro linhas, o Benfica vai bater o livre. É Simão... contra a barreira. A bola ressalta de volta para o capitão encarnado, que aplica novo remate de pé esquerdo e envia a bola para o fundo das redes de Nuno Santos.

... mas sem o barulho de fundo!

Bem sei que gritar "GOLO" para um computador é ridículo. Em certa medida (pelo menos assim alegam muitas mulheres) ver 22 tontos atrás de uma bola durante 90' também é... Eu fi-lo hoje, mais do que uma vez. Adoro ser ridículo.
Aliás espero que na 3ª feira volte a essa condição.
A ver vamos, como diz o cego!

Questões co(m)laterais

Fica para reflexão: nos últimos tempos saíram de Portugal os três seguintes jogadores: Paulo Ferreira, Nuno Valente e Miguel! Em compensação, temos o prazer de assistir regularmente às exibições dos três seguintes jogadores que representam os denominados grandes: Sonkaya, Tello e João Pereira! E pensar que ainda há quem diga que a posição de lateral não é muito importante e que um qualquer jogador mediano pode fazer a mesma. Por favor, tragam três jogadores medianos porque a mudança foi muito brusca!

terça-feira, setembro 20, 2005

Tem cuidado com o que desejas


Ontem parecia uma daquelas anedotas em que José Peseiro encontra uma lâmpada mágica e pede um desejo ao génio! O génio pergunta "Diz o teu desejo meu filho"... Peseiro responde, na senda do que disse à comunicação social, "Eu não me importava que os próximos 30 jogos acabassem todos sempre 2-1, como os anteriores".

Ontem o génio fez-lhe a a vontade...

Mais um flop...

Depois da ridícula demonstração de provincianismo da dupla Luís Filipe Vieira/José Veiga na "Benfica em Festa" que apontava para 50.000 na Luz para mostrar a Supertaça (Toma lá 500 e poupa-os), ontem foi a vez de apresentar a Sinfonia Benfica. O Benfica é o único clube no mundo com uma sinfonia. Em 4.000 lugares que tem o Coliseu dos Recreios estavam 900 pessoas. Certamente por razões de segurança...

segunda-feira, setembro 19, 2005

Nacional 2 - 1 Sporting


Grandes Promessas da Luz

Bruno Caires
Quem se pode esquecer daquele livre que executou com Dani no Mundial do Qatar95, contra a Holanda, em que os jogadores se fingiam desentender, cruzando de imediato para a cabeça do Agostinho ou do Nuno Gomes (já não me lembro...) Diga-se de passagem que é única coisa pela qual será recordado. Depois de estrela no pior Benfica de sempre, passagens pelo banco, no Celta e no Tenerife, acaba de abraçar um projecto "ambicioso" no Sporting da Covilhã, aos 29 anos.

Olá...

É de bom tom cumprimentar os donos da casa quando entramos, mesmo se estivermos a usar fato-de-treino ao invés do recomendado fato escuro.
Pois é, chegámos à Blogoesfera e esperamos não chocar (muito) pela nossa falta de tacto.
Primeiro porque pretendemos discutir um assunto que não se deve levantar à mesa: Futebol.
Segundo porque quando se fala de futebol não se pensa na erudição do discurso, sai o que sair.
Terceiro porque o único fato que se usa neste blog é o "de-treino".

Pronto, já está.
Agora só não vale arrancar olhos!

AH POIS FOI...

Para quem dizia que ele nunca marcava golos (e eu era um deles) foi mesmo ele a dar "três pontapé" nos maus resultados... Ah pois foi...

Piada ainda actual...

O Benfica continua com menos pontos que o Tiago Monteiro...

Pontapé de saída




O rabo de cavalo do João Pereira, a pseudo-concreticidade abstracta dos atrasos para o guarda-redes do Pepe, a teia de cumplicidade com Ricardo, a Mariza Cruz, o Calabote e o Calheiros.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?


Traffic analyzer